Madeira

  • 107.jpg
  • 113.jpg
  • 101.jpg
  • 114.jpg
  • 112.jpg
  • 103.jpg
  • 115.jpg
  • 108.jpg
  • 100.jpg
  • 105.jpg
  • 106.jpg
  • 22A.jpg
  • 104.jpg
  • 111.jpg
  • 109.jpg
  • 110.jpg
  • 116.jpg
  • 23A.jpg

Feira do Livro

A Feira do Livro está a decorrer no Funchal até ao próximo domingo. Conta com a presença de mais de 60 autores, cerca de 30 editoras, 17 bandas regionais, diversos espetáculos de rua, cinema, teatro, demonstrações culinárias.

O evento vai já na 43ª edição.

Arraial do Monte

Manda a tradição que esta noite "todos os caminhos vão dar ao Monte". A freguesia enche-se de milhares de pessoas oriundos de vários cantos da Ilha, turistas e também muitos emigrantes madeirenses que aproveitam esta altura de arraiais para umas férias na Madeira.

São João da Ribeira

O sítio de São João da Ribeira, no Funchal, já se prepara para as festividades em honra do Santo Padroeiro. As novenas começaram no início da semana.

Mercado dos Lavradores

O Mercado dos Lavradores é um dos marcos turísticos do Funchal. O edifício histórico é testemunho da arquitetura do Estado Novo. Foi construído na década de 30 numa combinação que oscila entre a “Art Déco” (movimento popular internacional de design) e o Modernismo. A inauguração do projecto, da autoria de Edmundo Tavares, aconteceu a 24 de Novembro de 1940.

Inicialmente, o espaço com quase 10 000 m2 estava preparado para abastecer cerca de 25 000 habitantes. Actualmente, estima-se que cerca de 40 mil pessoas passem pelo Mercado para fazer compras.

Em vários pontos do Mercado, o visitante é confrontado com painéis de azulejos, de Faiança, produzidos na Fábrica da Loiça de Sacavém e pintados com temas regionais, por João Rodrigues.

O Mercado dos Lavradores está organizado em “praças”, “ruas” e “largos” onde se podem encontrar artigos típicos da Região.

À entrada as vendedoras, vestidas a rigor com o traje regional, preparam os arranjos de flores procurados por turistas e residentes. Um pouco mais à frente e no primeiro piso estão os produtos agrícolas, como a “vaginha” (feijão verde), a semilha (batata), a couve repolho, os espigos, a batata-doce e frutos da época (laranja, tangerina, pêros, maçãs), entre outros.

No piso inferior encontra-se a praça do peixe. Local que desperta a atenção do visitante pelo ruído e azáfama que os homens do mar imprimem ao espaço. Por vezes, o movimento é intenso e cada um tenta “puxar a brasa à sardinha” para vender o peixe-espada, a sardinha, a “cavala”, o atum, o chicharro, etc.

Os turistas que por aqui passam não deixam de registar o momento nas objectivas levando, assim, o nome da Madeira além fronteiras.

O Mercado dos Lavradores enfrenta, contudo, um forte problema. A concorrência das grandes superfícies comerciais, que oferecem facilidades de estacionamento, impede que os negócios no mercado tenham o sucesso de outros tempos. Mesmo assim, existem épocas do ano onde a afluência ao Mercado é mais significativa. Por exemplo, no Natal o ex-líbris do Funchal fica “apinhado” de gente para a tradicional Noite do Mercado. 

Venda ambulante

É uma imagem que se repete em várias ruas do Funchal sobretudo entre os meses de Junho a Outubro.

É neste período que os vendedores ambulantes aproveitam para escoar a fruta da época. A licença camarária é atribuída anualmente e só é permitida a venda de produtos regionais. As bancas têm de estar devidamente limpas e os vendedores com um traje específico.

Uma atividade apreciada por turistas e residentes que aproveitam para saborear os produtos típicos da Madeira.

Funchal

O concelho do Funchal teve a sua origem por ocasião do povoamento da Madeira, em 1425. Tudo indica que os primeiros povoadores se fixaram na conhecida zona velha da cidade, onde actualmente se localiza o bairro de Santa Maria.

Rapidamente o Funchal properou e em 1425, D. Afonso V, elevou-o à categoria de vila e sede de concelho. O Porto do Funchal passou então a ser um local de passagem de navegadores portugueses, italianos e flamengos. Os comerciantes que aqui aportavam traziam novos hábitos e culturas, tornando deste modo o Funchal num importante entreposto comercial localizado em pleno Oceano Atlântico.

A 21 de Agosto de 1508 D. Manuel I, em Carta Régia, eleva a vila do Funchal à categoria de cidade.

Mais tarde, já no século XVIII a cidade espande-se pela encosta até ao Monte. Ao longo do século XIX a Madeira tornou-se ponto de passagem de várias personalidades ilustres que procuraram na Ilha a cura para doenças de natureza respiratória. Actualmente, o Funchal é considerado um dos melhores destinos turísticos do mundo.

Localização

O Funchal é delimitado pelos concelhos de Câmara de Lobos, Santa Cruz, Santana e Machico. As ilhas Selvagens fazem parte do município do Funchal, embora localizadas a cerca de 163 milhas da Madeira.

População: 112 015 habitantes (Censos 2011)

Área: 76 km2

Artesanato: bordados da Madeira, artefactos em vime, sapateiro, chapéus de palha, instrumentos musicais, bota de vilão e tapeçaria.

Atividades económicas: comércio, turismo, restauração, oficinas de mecânica, agricultura, hotelaria, serviços, indústria, construção civil.

Gastronomia: espetada regional e filete de espada preto, espetadas em pau de loureiro, bolo do caco, milho frito, bife de atum, carne de vinho e alhos, atum cozido, cozido à portuguesa, sopa de peixe, bolo de mel, bife, queijada madeirense.

Oragos: Imaculado Coração de Maria, Nossa Senhora do Monte, S.Gonçalo, S.Martinho, S.Pedro, S.Roque, Santa Luzia, S.Tiago Menor, Santo António, Nossa Senhora da Assunção.

Feriado Municipal: 21 de Agosto

Page 1 of 2

Multimédia

Madeira em Vídeo

Cantinho da Madeira

O Cantinho da Madeira é um projeto direcionado para a comunidade portuguesa, criado em julho de 2006. O portal, sem fins lucrativos, contempla uma rádio online com programas regulares produzidos por portugueses na diáspora.

 

Nossos visitantes

7079586
HojeHoje804
OntemOntem7528

Aviso! Este site utiliza cookies para melhorar e personalizar a navegação dos utilizadores. Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree