Madeira

  • 109.jpg
  • 107.jpg
  • 100.jpg
  • 106.jpg
  • 104.jpg
  • 115.jpg
  • 113.jpg
  • 114.jpg
  • 108.jpg
  • 101.jpg
  • 103.jpg
  • 22A.jpg
  • 105.jpg
  • 110.jpg
  • 112.jpg
  • 116.jpg
  • 23A.jpg
  • 111.jpg

Cantinho da Madeira

Email: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

O Festival Regional de Teatro Escolar foi fundado por Carlos Varela no ano 1992, uma iniciativa apadrinhada, desde a primeira hora, pela Escola Secundária Jaime Moniz.

Um evento que reúne grupos de teatro de várias escolas da Região e que tem como principal objetivo dar a conhecer o trabalho que é desenvolvido nos respetivos estabelecimentos de ensino na área da representação.

Durante uma semana, a Jaime Moniz apresenta diversas peças, algumas delas da autoria dos professores da escola participante, outras adaptadas de obras de escritores portugueses. O Festival encerra com a cerimónia de atribuição de prémios aos grupos participantes.

Na Madeira os primeiros festejos de Carnaval de que há registo aconteceram na Rua da Carreira. Era naquela artéria da Cidade do Funchal que se reuniam os foliões que festejavam a quadra de uma forma muito original. Os mascarados eram "bombardeados" com ovos, farinha e água. Não é por acaso que muitos foliões traziam já o casaco do avesso.

Era também tradição os assaltos às casas particulares. Em termos práticos, os grupos de foliões reuniam-se e iam às casas exigir aos proprietários uma festa.

Com o passar dos anos, a tradição foi extinta dando lugar a outros acontecimentos como é o caso do tradicional Cortejo Trapalhão que ainda persiste nos dias de hoje, na tarde da terça-feira gorda.

Como o turismo tem grande expressão na Região Autónoma houve necessidade de criar um Cortejo Alegórico à altura da exigência dos que nos visitam. No desfile de sábado à noite participam várias trupes com milhares de figurantes que inundam as ruas do Funchal de música e alegria. A folia caraterística desta época estende-se também aos bares, hotéis e discotecas da Região.

Festa dos Compadres

Os festejos de Carnaval não se limitam à capital madeirense. Por toda a ilha surgem manifestações alusivas a esta quadra. Destaque para a Festa dos Compadres, em Santana, que é caraterizada pela presença de bonecos fantoche em tamanho gigante. Comadres e compadres juntam-se "para se descobrirem, com humor, algumas verdades". Faz-se o o julgamento público da comadre, acusada de muitas infidelidades, que é queimada na via pública num ritual que encerra o fim do folguedo.

A Festa dos Compadres é uma das mais antigas tradições do Carnaval madeirense. Acontece na semana que antecede os festejos oficiais do carnaval. Um dos pontos altos é o cortejo etnográfico e o julgamento do compadre e da comadre.

A tradição, pouco conhecida da maioria dos madeirenses, realiza-se anualmente, a 2 de fevereiro, na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no sítio dos Zimbreiros, na freguesia da Tabua.

É organizada pelo povo da localidade e/ou, em alguns anos, por festeiros. O facto de acontecer no início do ano faz com que não seja muito frequentada por emigrantes madeirenses na diáspora. Por essa razão, a Senhora das Candeias é assinalada sobretudo pelos residentes na freguesia ou em localidades vizinhas.

A festa começa no primeiro dia de fevereiro com a novena celebrada pelo pároco local. À noite são distribuídas candeias aos forasteiros. De acordo com alguns moradores tratam-se de “velas fininhas que antigamente eram colocadas junto aos doentes em fase terminal”.

No dia seguinte realizam-se as cerimónias religiosas: a eucaristia seguida da procissão. A Capela e os arredores ficam engalanados para acolher os 2 dias de festa. Não faltam as barracas com comes e bebes e a música tradicional para animar o arraial.

O Festival do Vinho, do Bordado e do Artesanato da Madeira tem por objetivo a promoção dos produtos que são imagem de marca da região e desta forma potenciar a comercialização.
O evento tem como destinatários o mercado interno mas também os turistas que passam pela Região Autónoma. Oportunidade para o contacto entre os potenciais compradores, os produtos e as empresas que os comercializam.
Este festival destina-se a todas as idades e inclui, rovas de vinho, ateliê para crianças, workshops, oficinas de artesanato (incluindo bordados, tapeçaria e pintura de azulejos).
A iniciativa acontece, em fins de fevereiro, nas instalações do Instituto do Vinho da Madeira, na Rua 5 de outubro. A entrada é gratuita.

A freguesia do Seixal, no concelho do Porto Moniz, assinala anualmente a 17 de janeiro a Festa de Santo Antão. O padroeiro da freguesia é homenageado graças ao empenho do povo da localidade. Os festeiros vão porta-a porta recolher apoio financeiros para organizar o arraial que marca o fim das festividades do Natal. É uma espécie de Santo Amaro para o povo do Seixal. 

A Igreja é ornamentada ao pormenor pelas mãos habilidosas de algumas moradoras. Este ano, foram colocados cerca de 15 mil sapatinhos.
Como em qualquer arraial, as ruas são decoradas com ramos de louro, bandeiras e iluminação. Não faltam as barracas com comes e bebes e a animação musical.

Para angariar mais algumas receitas os organizadores promoveram a venda de rifas com oferta de vários prémios aos vencedores.

 

 

Multimédia

Madeira em Vídeo

Cantinho da Madeira

O Cantinho da Madeira é um projeto direcionado para a comunidade portuguesa, criado em julho de 2006. O portal, sem fins lucrativos, contempla uma rádio online com programas regulares produzidos por portugueses na diáspora.

 

Nossos visitantes

7271194
HojeHoje3703
OntemOntem5136

Aviso! Este site utiliza cookies para melhorar e personalizar a navegação dos utilizadores. Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree