ÚLTIMAS RCM

  • Entrevista: Valter Duarte integra musical com estreia para junho, em Londres
  • António Manuel Ribeiro, vocalista UHF, em entrevista à RCM
  • Márcio Amaro: Da Camacha para o mundo da música
  • Colares de "Maios" (vídeo)
  • Sylvia a cantar "Até ao infinito". Oiça a entrevista
  • Maria Leal entrevistada na Rádio Cantinho da Madeira
  • Roni de Melo: Do Brasil para Portugal
  • Nelo Ferreira: de Matosinhos para o Mundo.
  • Já validou as faturas no Portal das Finanças? Conheça os prazos.
  • Valter Duarte: "The Villain".
  • Vozes do Atlântico - Max. Recorde o vídeo.
  • Dias da Festa: Gastronomia na Venezuela
  • Dias da Festa: regresso dos "embarcados"
  • Dias da Festa: Dia da Imaculada Conceição
  • Dias da Festa: Sinais do Natal
PUB
São Vicente

Fica a dever-se a uma pequena ermida consagrada a São Vicente. Primeiro deu nome ao local onde fora erguida e mais tarde à paróquia. Desconhece-se, contudo, o nome do seu fundador e o ano da sua construção. A lenda de São Vicente é famosa em Portugal, e em particular na cidade de Lisboa, devido à ligação deste santo com a nossa capital. Na verdade, os momentos finais de toda a sua grande lenda até podem ser vistos no brasão da cidade. Agora, se o brasão - com um navio e os dois corvos - ainda hoje é famoso, o que já poucos parecem saber é que quando toda a história deste santo é contada nos nossos dias, tende a sê-lo de uma forma incompleta, que faz perder um elemento muito significativo da trama. Portanto, hoje contamos cá a verdadeira lenda de São Vicente, na sua forma mais completa, para que todos os leitores a possam conhecer.

Conta-se então que este santo nasceu na cidade espanhola de Saragoça, em finais do século III da nossa era. Quando Diocleciano decidiu perseguir os Cristãos, este Vicente foi um dos muitos capturados pelos Romanos, mas por muitas torturas a que o sujeitassem ele recusou sempre abandonar a sua fé em Deus e no Cristianismo. Quando finalmente faleceu, vítima das mais brutais torturas (entre outras coisas, ele foi assado numa grelha), o corpo do mártir foi primeiro abandonado e depois atirado ao mar, flutuando durante dias até que deu à costa perto de Sagres, sendo sempre acompanhado e protegido por corvos. Foi construída uma capela a este santo no local (hoje perdida, tanto quanto foi possível apurar), e também ela foi sempre protegida por corvos. Depois, em finais do século XII e por ordem de Dom Afonso Henriques, as relíquias do santo foram trazidas para a capital de Portugal - e, como já é bem sabido, os corvos continuaram a acompanhar os restos de São Vicente, seguindo-os para a capital e gerando a curiosa imagem que ainda hoje pode ser vista no brasão da cidade - de facto, até é ele o padroeiro de Lisboa, e não São António, como muitos poderiam supor nos nossos dias!

Nesta sua forma mais completa do que é habitual, a lenda de S. Vicente permite-nos compreender que a ligação deste santo aos corvos já tinha vários séculos quando ele foi transportado para Lisboa. Mas de onde vem ela? Também podemos explicá-lo - a versão original da primeira parte de toda a lenda, que nos chegou num poema de Prudêncio (século IV), diz que quando o santo morreu, e para que os animais selvagens não pudessem destruir o corpo, um corvo - no singular, corvus - protegeu-o de todo o dano. Depois, ao longo dos séculos este pequeno papel foi crescendo, o número de animais foi sendo ampliado, e o seu papel original foi parcialmente esquecido - quando os restos do santo são trazidos para a cidade de Lisboa, ele é já puramente simbólico, até porque passados tantos séculos já não existiria muito para ser protegido.

Portanto, esta é uma daquelas lendas que ao longo dos séculos foi sendo sintetizada e reduzida apenas aos seus elementos mais fulcrais e relevantes para a presença desta figura na capital, estando as suas relíquias hoje - para quem estiver curioso, e segundo foi possível apurar - na Sé de Lisboa (e não no belo Mosteiro de São Vicente de Fora, como seria naturalmente de supor). Porém, recordar esta lenda como o fizemos aqui, com base na sua fonte literária original, é importante para que se possam compreender todos os elementos que a compõem, e em particular a razão pela qual os corvos - tipicamente dois, nas versões dos nossos dias - seguiram sempre os restos mortais do mártir.

Fonte: https://www.mitologia.pt/a-verdadeira-lenda-de-sao-vicente-427412

O artista animou a Festa do Rosário, em São Vicente. Álvaro Florença interpretou vários temas originais e também alguns covers.
A Festa do Rosário, em São Vicente, encerra o ciclo dos grandes arraiais de verão na Madeira. As iluminações e ornamentações caraterísticas dos arraiais madeirenses…
A Festa em honra de Nossa Senhora do Rosário voltou a juntar centenas de pessoas, em São Vicente. Os grupos de despique também marcaram presença…
"Palavras de Carinho" é um dos sucessos musicais de Carlos Alexandre que marcaram o final da década de 70 do século passado. O tema faz…
Aldora Gonçalves & Leonardo Carvalho animaram a Festa do Senhor Bom Jesus, em Ponta Delgada. Como manda a tradição, o despique não pode faltar no…
Os grupos improvisados preenchem o calendário de animação na Festa do Senhor Bom Jesus, em Ponta Delgada. Ao som de instrumentos tradicionais, os forasteiros vão…
A Festa do Senhor Bom Jesus, na Ponta Delgada, tem uma caraterística diferente de outros arraiais. Na maioria das festas populares existe um palco para…
A Festa do Santíssimo Sacramento, mais conhecida por arraial do “Bom Jesus”, acontece no primeiro domingo de setembro, na freguesia de Ponta Delgada, em São…
Ser romeiro é também sinónimo de convívio e animação. Cerca de 50 romeiros partiram do Curral das Freiras, bem cedo, logo pelas 6 e meia…
É uma das tradições que ainda se mantém viva na Festa do Senhor Bom Jesus, na freguesia de Ponta Delgada. Diz o ditado que "mudam-se…
As Festas de São Vicente são consideradas um dos maiores arraiais de verão da Região Autónoma da Madeira. O programa de festas prolonga-se durante uma…

São Vicente

O Concelho de São Vicente foi criado em 1835, englobando as atuais freguesias de Ponta Delgada, São Vicente e Boaventura. O cultivo da cana-de-açúcar, da…
Um dos símbolos mais representativos desta freguesia é uma pequena capela construída em 1692 no interior de uma rocha de basalto situada na foz da…

Ponta Delgada

O nome do escritor madeirense, que marcou o século XX, fica para sempre ligado à história de Ponta Delgada. Horácio Bento de Gouveia nasceu, nesta…

Visitantes

18296464
Hoje870

Associação Cultural e Recreativa Cantinho da Madeira
NIPC 517 099 950
Registo na ERC: 700067

Descarregue as nossas APP´s
para iOS e Android

Top
Aviso! Este site utiliza cookies para melhorar e personalizar a navegação dos utilizadores. More details…